20060713

"A pior forma de colonialismo"

O Brasil está sofrendo um lobby fortíssimo da União Européia pela regulamentação da importação de resíduos sólidos (lixo). A União Européia, por decisão judicial, não pode mais depositar seus pneus em aterros sanitários locais e para sanar seus problemas com lixo residual escolheram o Brasil como depósito de seus pneus usados. O interesse da União Européia pela questão em pauta é tão grande que a mesma está usando a Organização Mundial do Comércio (OMC) para pressionar o Brasil, que por sua vez tem acionado freqüentemente a entidade para combater os subsídios agrícolas dos países europeus. No Brasil, apesar de a importação de bens usados ser proibida por resoluções federais, 11 milhões de pneus usados entram no país todo ano, com base em liminares judiciais – parte deles vêm do Uruguai, em razão de decisão do Tribunal Arbitral do Mercosul. O Ministério do Meio Ambiente ressalta que a regulamentação da importação favoreceria apenas a União Européia, que deposita 80 milhões de carcaças de pneus por ano em seus aterros. "Por isso eles querem que o Brasil autorize a entrada aqui", afirma o secretário executivo Cláudio Langone. Agora, na opinião da representante do Instituto Sócio Ambiental (ISA), Adriana Ramos, a importação de pneus lembra "a pior forma de colonialismo", em que os países europeus obrigavam suas colônias a comprarem produtos que não lhes servia. Para o deputado Ivo José (PT-MG), autor do projeto de regulamentação, a idéia não é tornar o Brasil uma "lixeira". Ele argumenta que alguns resíduos de processos industriais são matérias-primas estratégicas no Brasil, pois o pneu pode ser utilizado para fazer asfalto e de outras maneiras, desde que no plano de gestão isso seja adequado. Outra razão alegada é o barateamento do produto, permitindo o consumo por pessoas de baixa renda. Não é com lixo da europa que o Brasil deve gerar renda, pois é preciso ter certeza da aplicação de planos de gestão de resíduos solídos, já que o país não dá conta nem mesmo de seus próprios aterros sanitários e resíduos tóxicos ao meio ambiente. O que se vê nos noticiários diários são prefeituras e governos estaduais brigando na justiça pelo depósito de lixo em aterros ultrapassados e super lotados. Eis o que aconteceu nos anos 1980 na cidade de Barueri - SP e agora recentemente em Várzea Paulista - SP, enfim há inúmeros casos problemáticos com a questão do lixo no país e ainda há planos para gerar renda com lixo importado? Faça o favor senhores deputados é hora de averiguar detalhadamente com antecedência os verdadeiros planos de gestão para o processamento de lixo e não apenas olhar para a questão econômica que interessa a poucos e não a população em geral. Que os cidadãos cobrem do nobre deputado do PT de Minas Gerais mais ação e menos bajulação ao poder internacional. Se o Brasil tiver que virar "lixão" de pneus da Europa, que os amigos mineiros me perdoem, mas então que sejam eles os primeiros a receberem tais carcaças !!! Graças ao apoio do nobre sr. Ivo José - deputado federal por Minas. Texto by Ton.

Divulgue o seu blog!