20060822

Pesquisa avalia governo Lula

Pesquisa em sétima edição mostra avaliação de jornalistas brasileiros sobre a atuação dos ministros do presidente Lula e de seu governo. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luis Fernando Furlan, foi o único que manteve avaliação positiva e estável em relação às pesquisas anteriores da Macroplan consultoria. Ele foi citado por 55% dos entrevistados como o melhor ministro da equipe (contra 52%, em 2005). Em segundo lugar, com 47% de citações, vem o ministro da Fazenda, Guido Mantega, mas este ainda não rivaliza com os índices de aprovação de seu antecessor na pasta, Antonio Palocci (81%). Na terceira colocação, o ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues (34%), seguido pela ministra da Casa Civil, Dilma Roussef (28%). No grupo em baixa estão empatados com 31% das avaliações os ministros da Saúde, José Saraiva Felipe, e Miguel Rosseto, do Desenvolvimento Agrário. O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que ocupava a quinta colocação dos ministros bem avaliados na pesquisa anterior, teve na pesquisa atual avaliação negativa e ficou em terceiro lugar no ranking dos piores (27%). Na quarta colocação está o ministro da Justiça, Márcio Thomas Bastos (24%). Agora com referência ao governo Lula, os jornalistas e formadores de opinião concederam ao presidente e a sua equipe a nota 4,8, da escala de 0 a 10. Os números dessa pesquisa revelam que o principal foco de desgaste do governo petista foi pela segunda vez consecutiva a gestão política: 74% dos entrevistados consideraram ruim e muito ruim a coordenação geral do governo, 82% criticaram severamente a ação do governo na solução de crises políticas e 86% reprovaram as alianças e negociações. Na área social os jornalistas foram rigorosos na crítica ao desempenho do governo no combate à violência e à insegurança pública, reprovada po 95% dos entrevistados. Mas dois focos da política social receberam avaliação positiva: o combate à fome e à pobreza (66%) e a geração de empregos (63%. A política econômica foi apontada novamente como a área de melhor desempenho do governo por 90% dos jornalistas. Já a política externa, que vinha recebendo avaliação positiva desde a primeira pesquisa, pela primeira vez ficou em baixa e foi considerada ruim ou muito ruim por 52% dos entrevistados. By Ton.

Divulgue o seu blog!