20060925

Imagem é tudo?

Faltam apenas seis dias para as eleições no Brasil e a pregunta é única: - Cadê a imparcialidade das revistas semanais, quando o assunto em voga é eleição presidencial? Veja que as capas trazem a mesma figura presidenciável, independente da questão e Época, pois os veículos estão quase que julgando por encerrado todos os assuntos ventilados no meio público político, Isto É o denuncismo acaba virando julgamento final!!! Não é hora de defender ou simplesmente acusar quem quer que seja. O jornalismo brasileiro mais uma vez está taxando nomes e figuras que ao menos merecem o respeito do cargo que ocupam, tudo bem que nos Estados Unidos a imprensa trabalha com "total" liberdade, mas alguns elementos de cargos públicos eletivos pela democracia americana são respeitados (salvo para a mídia marrom) até que se provem as acusações. No Brasil se assiste uma onda de denuncismo, ainda mais as vésperas das eleições... em São Paulo o candidato José Serra quase que entrou em uma de bode espiatório do PT - Partido dos Trabalhadores, com supostos documentos que sugeriam envolvê-lo no escândalo dos sanguessugas!!! Em Brasília o presidente da república (Lula) está sob os holofotes da imprensa semanal, vale lembrar que o mesmo já foi vítima de uma edição global nos anos noventa a favor do então candidato Fernando Collor de Melo e hoje Lula sofre com o desgaste de sua imagem. A quem interessa tamanha exposição midiática? É preciso que de fato a imparcialidade seja presente nos veículos de comunicação e não uma suposta!!! Hoje, infelizmente todos estão parciais... não é culpa do Lula ou do Geraldo, mas sim dos editores e diretores de redação, se existe denúncias ou acusações que sejam publicadas com a devida investigação e julgamentos e não apenas por mero instrumento comercial ou político.... De novo o país vê apenas um homem exposto a cruz, isso a menos de uma semana das urnas eleitorais.. Que o povo pense e reflita e não se deixe levar por imagens ou textos com velhos chavões. Seria muito mais válido se as tais revistas fizessem matérias imparciais sobre cada candidato e suas respectivas propostas de governo, em vez de estaparem na primeira página quais são suas intenções eleitoreiras. Texto by Ton.

Divulgue o seu blog!