20061113

Adesão do PMDB ajudará governabilidade de Lula

O segundo mandato do governo Lula poderá contar com o apoio formal de 63% da Câmara, ou 325 dos 513 votos. Tal número não significa transferência automática de votos, já que "traições" nas bancadas são comuns, mas assegura margem confortável para aprovar projetos. O presidente Lula contabiliza para seu novo mandato apoios de metade da bancada do hoje oposicionista PDT e a adesão de 90% do PMDB, que terá 89 deputados. Lula deve precisar, então, de poucos "neoaliados" para superar o melhor índice de apoio de um governo novo nos últimos anos, tomando como base de comparação os dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso, que começou as legislaturas com respaldo de cerca de 65% dos deputados. Segundo reportagem da Folha On line, uma maioria robusta é crucial para o governo, entre outras coisas, por um simples motivo: em 2007, Lula terá que aprovar a prorrogação ou "eternização" de dois instrumentos considerados pelos últimos governos como essenciais à administração, a CPMF (o "imposto" do cheque) e a DRU (Desvinculação das Receitas da União, que permite maior liberdade na execução orçamentária). Como significam emendas à Constituição, é necessário o voto de pelo menos 60% dos deputados para aprovação. By Ton.

Divulgue o seu blog!