20070302

Comissão Andina de Juristas lança relatório sobre liberdade

O ministro de comunicação e informação venezuelano, William Lara, refutou os dados do relatório anual da Comissão Andina de Juristas (CAJ), que demonstrava preocupação com a tendência nacionalista dos governos de Venezuela, Bolivia e Equador. De acordo com Lara, o objetivo da CAJ seria "difamar" o país, que, segundo ele, é líder em liberdade de expressão. A região andina é composta por Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela. "Somos campeões em liberdade de expressão. Gostaria que os membros da CAJ se dessem ao trabalho de ouvir, ver e ler os meios de comunicação venezuelanos para observar a vitalidade do livre pensamento e expressão em nosso país", opinou o ministro, em comunicado oficial. O relatório da CAJ considerava que a liberdade de imprensa no país "tropeça com problemas". Para Lara, o objetivo do estudo seria "agradar" o presidente dos EUA, George W. Bush, que visitará o Brasil nos próximos dias. "A Comissão Andina de Juristas se apressou a estender o tapete vermelho a Bush, com uma série de mentiras contra a Venezuela, como esta de que 'a liberdade de expressão tropeça com problemas' no país", acusou Lara.
Histórico
Nos últimos meses, a Venezuela apareceu em várias manchetes como um país que cerceia a liberdade de imprensa. A não renovação da concessão da Radio Caracas Telévision (RCTV) foi criticada por jornalistas do país e pela Federação Internacional de Jornalistas (IFJ). Anteriormente, o repórter fotográfico Jorge Aguirre foi assassinado enquanto cobria um protesto. Além disso, autoridades venezuelanas já criticaram veículos brasileiros em mais de uma ocasião. Julio García Montoya, embaixador venezuelano no Brasil, repudiou a Veja em comunicado oficial. Chávez já criticou O Globo em visita à Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e em uma recente entrevista coletiva. Fonte: Comunique-se. By Ton.

Divulgue o seu blog!