20080514

Internacionalização da Amazônia?

Ao afirmar que conhece pouco sobre a Amazônia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que ela é um patrimônio da "humanidade" e que deve ser cuidada pelo Brasil. Entusiasmado, Lula apelou para que todos digam em "alto e bom som" que "quem cuida da Amazônia é o Brasil. Como tem gente que acha que a Amazônia tem que ser da humanidade. E nós achamos que é (da humanidade). Achamos que ela precisa produzir benefícios para todos os seres humanos. Mas temos que dizer em alto e bom som que quem cuida da Amazônia é o Brasil. Quem decide o que fazer na Amazônia é o Brasil", disse o presidente, no lançamento do PAS (Plano Amazônia Sustentável), no Palácio do Planalto. Lula relatou que em livros há referências sobre a impressão de estrangeiros a respeito do Brasil. "Há livros, do século 16, que mostram que, uma vez, um americano veio de barco e achou que a Amazônia era uma extensão do rio Mississipi (nos EUA)", afirmou. "Eu penso que nós ainda não temos condições de explorar 10% da fauna, da flora e da biodiversidade da Amazônia. Eu diria que nós somos quase que analfabetos em Amazônia." O presidente ressaltou que é fundamental cuidar da Amazônia e desenvolver políticas na região de forma adequada. Do contrário, segundo ele, os produtos brasileiros poderão sofrer vetos e embargos internacionais sob a suspeita de serem cultivados em áreas preservadas."Se a gente não fizer as coisas adequadamente, daqui a pouco algum país levantará a proibição de não importar a soja brasileira porque alguém disse que ela está sendo plantada no lugar da célula da Amazônia", disse Lula."Produzir cuidando do meio ambiente é uma vantagem. Cuidar do meio ambiente é uma vantagem comparativa para os produtos que queremos vender a outras partes do mundo. É uma consciência extraordinária e uma evolução", reiterou.

Segundo o parceiro de gestão ambiental Expedição Villas Bôas é importante aguçar o conhecimento do brasileiro e, uma forma clara é apresentar aqui trechos interessantes sobre o Simpósio ocorrido em Genebra em 1.981. O Mixideias relata abaixo algumas das diretrizes impostas internacionalmente por eles:
DIRETRIZES:
A. A Amazônia total cuja maior área fica no Brasil, mas compreendendo também parte do território venezuelano, colombiano e peruano, É CONSIDERADO POR NÓS COMO PATRIMONIO DA HUMANIDADE. A posse dessa imensa área pelos países mencionados É MERAMENTE CIRCUNSTANCIAL. Não só por decisão de todos os organismos presentes ao simpósio, como também por decisão filosófica de mais de mil membros que compõem os diversos conselhos de defesa dos índios e do meio ambiente.
B. É nosso dever defender, prevenir, impedir, lutar, insistir, convencer, enfim, esgotar todos os recursos que devida ou indevidamente, redundem na defesa, na segurança, na preservação deste imenso território, o dos seres humanos que habitam e que SÃO PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE E NÃO PATRIMÔNIO DOS PAÍSE CUJOS TERRITÓRIOS, PERTENCENTES, DIZEM-LHES PERENTECEREM.
C. É NOSSO DEVER IMPEDIR em qualquer caso a agressão contra toda a área amazônica quando esta se caracterizar por construção de estradas, campos de pouso, principalmente quando destinados à área de garimpo, barragem de qualquer tipo ou tamanho, obras de fronteiras, civis ou MILITARES, tais como quartéis, estradas, limpeza de faixas,CAMPOS DE POUSO MILITARES e outros que signifiquem a tentativa de modificações ou do que a civilização chama progresso.
I. Angariar o maior número simpatizantes, principalmente entre elas pessoas ilustres, políticos, sociólogos, antropólogos, geólogos, autoridades governamentais, indígenas e outros de importante influência, como é o caso de artistas, (cuidado AMAZÔNIA PARA SEMPRE) jornalistas e seus veículos de imprensa. Cada simpatizantes deve ser instruído para que consiga mais de 10 em cada um deles mais 10 e assim sucessivamente, até formados um corpo de simpatizantes de grande valor.
L. É nosso dever garantir a preservação de território da Amazônia e de seus habitantes aborígines, PARA SEU DESFRUTO PELAS GRANDES CIVILIZAÇÕES EUROPÉIAS. Cujas áreas naturais estejam reduzidas a um limite critico.
Muito bem, precisa alongar o perigo nesta queda de braço em que as Ong’s internacionais vem aos poucos detonando os espaços democráticos, que ganhamos desde que se conhece como o terceiro setor instituído na dinastia do monarca Ptolomeu no Egito, quando este alocou grande parte de seus recursos e de seu tesouro na constituição da grande biblioteca de Alexandria, bem como Mecenas com o mesmo propósito. Já nesta época não eram denominadas de fundações ou Ong’s, e menos ainda personalidade jurídica, onde esta termologia se deu no século XIX.
Com esta dinâmica faz com que as fundações e ong’s tenham o propósito de ajudar o governo a suprir suas deficiências, e num ato filantrópico possam transformar a vidas das pessoas, que as tornam cidadãos conscientes de seus deveres e defensores de seus direitos: seres que são capazes de intervir nas políticas públicas verdadeiras agentes sociais que um país do terceiro mundo precisa, com melhor distribuição de renda, segurança pública e lisura na administração pública e privada.
O que não podemos admitir é que usem desta prerrogativa Ong’s estrangeiras por este meio licito e legal para fato de interesses escusos a soberania nacional ou de verdadeiros espiões internacionais infiltrados como bonzinhos e amigos do povo brasileiro incutindo até na cabeça do presidente da republica em que nós devemos concordar com estas filosofias bonitas no papel, mas sim com outras intenções principalmente com a Internacionalização da Amazônia. Veja em edições anteriores do Mixideies o texto de resposta do Senador Cristovan Buarque em visita ao EEUU, sobre humanismo e internacionalização da Amazônia.
É preciso que fique definitivamente claro: a Amazônia é, sim, Patrimônio de interesse da Humanidade, mas sua soberania, não. Não se pode, não se deve e não se vai abrir mão da sua soberania. E o primeiro a defender isso deve ser o Presidente da República.
"CUIDADO SR PRESIDENTE. Concordar que a Amazônia é da humanidade, pode ter duplo sentido com quem o sr. assine ou dê aval a quem quer que seja. Cuidado com estes amigos que estão embutindo em sua cabeça que a Amazônia tem que ser internacionalizada, quero dizer Patrimônio da Humanidade", conclui Villas Bôas. Fontes: Folha de São Paulo, Expedição Villas Bôas, Mixideias, Palácio do Planalto, Congresso Nacional, BBC Brasil, Jornal da Globo. By Ton.

Divulgue o seu blog!