20080603

Lula cobra países ricos em Roma...

Itália - O Brasil propõem, em Roma, na primeira sessão da Conferência de Alto Nível sobre Segurança Alimentar, Mudanças Climáticas e Bioenergia, realizada pela Organização das Nações Unidas para os Alimentos e a Agricultura (FAO), que as nações comecem a estabelecer uma estratégia a fim de elevar a produção mundial de alimentos e, sobretudo, para a retirada dos altos subsídios que os países mais ricos destinam à agricultura. A proposta foi apresentada pelo presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, chefe da delegação brasileira à Conferência. Segundo o presidente, os subsídios tornam praticamente impossível aos países mais pobres do mundo venderem alimentos à Europa. “Porque não tem incentivo para produzir. Se conseguirmos fazer isso, penso que estaremos criando as condições para que o alimento volte a se tornar acessível, sobretudo à parte mais pobre da população – que precisa comer três vezes ao dia, pelo menos”, disse Lula.
FAO 2008 - De acordo com o presidente é preciso aproveitar o encontro da FAO para analisar mais profundamente a questão. “É um momento extremamente importante, queremos abrir um debate para discutir a questão do alimento, da inflação e também discutir como fazer para que não joguem a culpa do preço dos alimentos em cima dos países pobres, mais uma vez”, alertou Lula. O segundo ponto, acrescenta o presidente, é lembrar que, a cada dia, 854 milhões de pessoas dormem com fome no mundo. Para Lula, a crise é mundial e passa pela China, Brasil, Chile, Estados Unidos e Europa e chegou a hora de tomar atitudes, como um acordo na Rodada de Doha, da Organização Mundial do Comércio (OMC), para que os países ricos abram mão dos subsídios agrícolas que dão aos seus agricultores. Que os Estados Unidos diminuam os subsídios. E aí sim os países pobres vão se sentir motivados a produzir mais alimentos para comer e para vender.

BiocombustíveisO presidente Lula demonstrou aos líderes mundiais que o etanol não é o culpado pela inflação mundial dos alimentos. Cabe ao Brasil, que é o maior exportador mundial de etanol e pioneiro na produção de biocombustíveis à base de cana-de-açúcar, provar que é possível compatibilizar a produção de etanol com a produção de alimentos, disse o presidente. Além de Lula, participaram da Conferência o secretário-geral ONU, Ban Ki-Moon, chefes de Estado e de governo e diretores das agências especializadas da ONU. Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. By Ton.

Divulgue o seu blog!