20080721

Empresas de Sorocaba "ignoram" ações sociais na cidade

O Mixidéias pesquisou, na cidade de Sorocaba-SP, a realidade "nua e crua" de empresas nacionais e multinacionais, sobre a auto-avaliação empresarial que possa indicar em que pontos é necessário melhorar as políticas e práticas de responsabilidade social da empresa.
O resultado é assustador, uma vez que diretorias específicas como Marketing, Recursos Humanos, Assessoria de Imprensa e Qualidade não sabem sequer definir um cronograma específico de ações e práticas a serem realizadas pelas empresas que respondem.
O processo educativo de responsabilidade social está muito aquém do desejado entre empresas de médio e grande porte, instaladas na zona industrial sorocabana. Interessante ressaltar que tais empresas foram beneficiadas por inúmeros incentivos fiscais do governo municipal, para sua implantação no município.
Multinacionais do setor de autopeças tiveram a pachorra em dizer ao Mixidéias que não precisam de qualquer prática de responsabilidade social, já que fabricam itens e acessórios internos de veículos. Para tanto, não precisam mostrar nada sobre a empresa a sociedade em geral, "nós fabricamos peças para automóveis e não precisamos falar de nossas atividades a ninguém, temos um mercado comprador fortalecido" afirmou a gerente de RH da multinacional.
Outra empresa que atua no segmento de bens de capitais, produzindo equipamentos para geração de energia eólica, de origem estrangeira, também não está preparada para qualquer tipo de ação que envolva responsabilidade social. Foram entrevistadas cerca de 25 empresas, das quais 15 multinacionais de grande porte. Nenhuma se mostrou apta e receptiva a divulgar projetos de responsabilidade social, mesmo aquelas que praticam de alguma forma tais projetos.
É uma vergonha, empresas multinacionais se beneficiarem de incentivos fiscais para sua instalação em nossos municípios com a prerrogativa de geração de empregos, desenvolvimento e progresso, senhores prefeitos, hoje é necessário muito além disso, as empresas devem se preocupar com práticas de responsabilidade social e ambiental. Ações reais e não meras cartilhas teóricas.
A FIESP - Federação das Indústrias do Estado de São Paulo incentiva os empresários paulistas a desenvolverem responsabilidade social do chão de fábrica aos gabinetes de diretorias.
Responsabilidade social não é ter "escolinha" ou creche bancada pela empresa. É ser reponsável pela comunidade ao seu redor, seja esta interna ou externa.
É HORA DA SOCIEDADE cobrar do poder público Leis que responsabilizem as empresas (nacionais e multinacionais) a desenvolverem ações de responsabilidade social na prática. Chega de perfumaria social, os munícipes agradecem pelo respeito e sensibilização a nova ISO 26.000, que vem ai para acertar os ponteiros das corporações no quesito responsabilidade social. Texto: Clayton Fernandes.

Divulgue o seu blog!