20080814

Câmara Técnica para Compensação Ambiental

Acompanhando o pronunciamento do senhor ministro de estado, Carlos Minc, do Ministério de Meio Ambiente, em evento promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP/II Mostra de Responsabilidade Socioambiental, Minc disse ao público presente que em sua pasta está adotando a "cadeia" legal, ou seja ações sustentáveis sem degradação da natureza como um todo no processo social da nação.
Redução de burrocracia, opss. melhor dizer burocracia é a bandeira levantada pelo ministro que afirmou ter reduzido o número de servidores que ocupavam tal função nas liberações de licenças ambientais, " dos 16 funcionários que respondiam por todo esse processo, nós liberamos 15", diz Minc.
Em relação a participação dos empresários e cientistas, o ministro coloca que daqui por diante a gestão ambiental do Brasil deverá ser mais acessível a todos, com a criação de mecanismos mais eficientes de compensação ambiental compatíveis com os empreendimentos que gerem impactos ambientais expressivos.

Hoje os cientistas deverão ter suas permissões de acessos as reservas e parques disponíveis em menor tempo, basta que assinem um termo de corresponsabiliade para pesquisa e em "menos de 15 dias terão os seus documentos aprovados".

FIESP - O Ministério de Meio Ambiente, assinou um termo de cooperação que leva a indústria paulista a se comprometer a não adquirir insumos originários dos estados que compõem a Amazônia Legal, como a carne, a madeira ou a soja, que não estejam devidamente certificados. Texto by Clayton Fernandes.

Divulgue o seu blog!