20081104

Vem aí um novo líder mundial...

Após uma campanha eleitoral acirrada e participativa, a sociedade norte americana vive tempos mais do que modernos. Desde a década de 1930 que não se vê uma participação intensa dos cidadãos americanos no cenário político. Para se ter idéia, públicos apáticos a qualquer tipo de eleição estão votando para presidente, como negros, idosos e jovens.
As últimas pesquisas prevêem a vitória do candidato Barack Obama sobre o seu oponente republicano John McCain, com uma diferença de 10 pontos percentuais entre ambos - 53 a 43, segundo as redes de televisão CNN, MSNBC e FOX.
Mais de 130 milhões de eleitores, um número recorde, comparecerão hoje às urnas para participarem de eleições americanas, dentre eles a participação de muitos eleitores principiantes, sobretudo negros, idosos, jovens e hispânicos.

Os americanos não elegerão apenas o presidente do país, mas também um terço dos cem membros do Senado e os 435 representantes da Câmara baixa, além das assembléias de muitos estados, vereadores, juízes, chefes de Polícia e outros cargos locais e estaduais, por sua vez se pronunciarão em dezenas de referendos.
Há a previsão de 75% de participação eleitoral, nas eleições anteriores o índice de participação ficou entre 50% e 55%, lembrando que nos EUA a democracia é plena, uma vez que o voto não é obrigatório.
Resultados da eleição:
Segundo analistas a definição da eleição presidencial se concentrará nos estados com tendência indefinida, nos quais nenhum dos dois candidatos (Mccain e Obama) tem clara vantagem. Nota-se que poderiam ser determinantes nestas eleições presidenciais os resultados na Flórida, Virgínia, Carolina do Norte, Pensilvânia, Ohio, Indiana, Missouri, Colorado, Novo México e Nevada.

Nova Mídia eleitoral:
Com o advento da internet, o público americano e mundial teve a oportunidade e liberdade total para trocar idéias, divulgar textos e até mesmo postar blogs com propostas para seus candidatos, como é o caso do blog paulistano Mixidéias que mantém um espaço em http://my.barackobama.com/page/community/blog/ton. Segundo o comentarista e repórter do "The New York Times" Adam Nagourney, esta campanha "estabeleceu novas regras sobre como ligar com os eleitores, arrecadar fundos, organizar os partidários, lidar com a imprensa, controlar e amoldar a opinião pública e evitar ataques".

Obama:
O fato de um negro ter alcançado a indicação à presidência da maior potência econômica do mundo, um país com feridas raciais relativamente recentes, é um forte elemento de atração aos americanos e ao público do mundo em geral, para tê-lo como presidente da maior potência mundial. Fatores ligados a um anseio mundial pela mudança política nos EUA, personificada na figura do candidato como o único capaz de provocar tal mudança; ressaltando que o slogan de Obama é a mudança, foi ele também que teve coragem de pronunciar-se a favor da mudança do atual sistema financeiro, ou seja, Obama efetuou a proposição para uma "Nova Ordem Mundail" para o cenário econômico. As próprias raízes de Obama, filho de um muçulmano do Quênia com uma norte-americana protestante, reforçam uma imagem positiva dos Estados Unidos, menos fundamentalista e mais multicultural, o que reforça seu carisma e forma de pensamento do seu partido democrata, liberal.

A América e o mundo devem perguntar qual é o melhor estilo de governo para a sociedade do século XXI? de]Deve ser guerreiro? Algaz como falcão em busca de sua presa indefesa por mero prazer de caça ou pelo instinto de sobrevivência? Conservador e puritano no mais sublime ápice da palavra!!?
Ou então, um governo liberal, sereno, eficiente e pacífico como um pombo? Protecionista sim, mas aberto a conversação, assim denotam seus correlegionários! Enfim, pare e pense o que é melhor para um país ou para o mundo!? O vôo do falcão ou do pombo?

McCain:
Após oito anos de governo, o republicano George W. Bush deixará a Casa Branca em janeiro de 2009 como um dos presidentes mais impopulares da história dos Estados Unidos. Com as intermináveis guerras contra o terror no Iraque e Afeganistão, somadas às crises nos mercados financeiro e imobiliário, surgiu entre a população americana um sentimento quase unânime de que o país não pode seguir na mesma direção, ou seja, eleger um republicano - aqui no caso John McCain.
A escolha da governadora do Alaska, Sarah Palin, para candidata à vice-presidência da chapa republicana trouxe problemas à candidatura de McCain. Assim que a decisão foi anunciada, o republicano subiu nas pesquisas e provocou euforia na base conservadora da legenda, que a princípio aprovou Sarah - uma republicana tradicional, que defende o porte de armas, se opõe ao aborto e outras questões liberais. Mas depois as sondagens mostraram que tanto eleitores quanto republicanos não acreditavam que ela estaria pronta para governar o país em caso de necessidade.

Apuração dos votos:
De acordo com a agência de notícias EFE, os colégios eleitorais na Virgínia fecham às 19h (22h, horário de Brasília) e, portanto, este estado com tendência indefinida será um dos primeiros a publicar resultados. Meia hora mais tarde os colégios fecham na Carolina do Norte e em Ohio, e às 23h30 (horário de Brasília) muitos outros estados - incluindo Flórida, Ohio e Pensilvânia - encerram a jornada eleitoral e começam a publicar informações parciais. O último a fechar os colégios será o Alasca, às 4h de quarta-feira (horário de Brasília), mas espera-se que o resultado das eleições presidenciais sairá muito antes, provavelmente com o fechamento dos colégios nos estados das Montanhas Rochosas, por volta da 1h de quarta-feira (horário de Brasília).
Fontes: EFE, Mixidéias, CNN, MSNBC, FOX TV, The New York Times, USA Today, CFR, Yahoo Brasil, Estado de São Paulo, Barack Obama.com . By Clayton Fernandes / São Paulo Brazil - Mixidéias.com.br

Divulgue o seu blog!