20090302

Presidente Lula sugere corrente de oração para Obama

São Paulo - Nessa segunda-feira, 02 de março de 2009, o Mix Idéias presenciou o encontro entre o presidente Luis Inácio Lula da Silva e Jan Peter Balkenende primeiro ministro da Holanda na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP, onde houve trocas de presentes entre os chefes de Estado (camisas oficiais das seleções de futebol da Holanda e do Brasil, ambas como número 10).

Além da honraria e recepção amistosa, o primeiro ministro dos Países Baixos elogiou a atuação marcante do Brasil no cenário mundial, destacando a política do governo como referencial para o grupo de países denominados BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China-, lembrou que após a segunda guerra mundial a economia se posicionou na trindade entre Estados Unidos, Europa e Japão.

No entanto, no século XXI esse contexto trilateral está fadado à falência, tendo em vista o desgaste do capitalismo ocidental. O BRIC é o caminho para a nova economia e, o Brasil, segundo o primeiro ministro da Holanda, está se posicionando como líder entre o grupo de países emergentes com a gestão do governo Lula.
O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, fez uma citação ao ministro da Holanda, dizendo que os laços exponenciais de liderança internacional entre Brasil e Países Baixos se concretizam desde meados do século XVI, com a passagem e estadia de Maurício de Nassau pelo Estado de Pernambuco, terra natal do presidente Lula.

Em seu discurso Lula disse que está preocupado com a situação da economia mundial em especial a dos Estados Unidos da América, que segundo ele está com um buraco enorme para ser resolvido. “Os EUA estão com a economia em estado de sub-prime, ou seja, a crise de 1929 voltou a assolar o território americano, com o diferencial de agora os bancos estarem assumindo o papel principal em meio à quebradeira da economia americana”. Para Lula é necessário que haja ação imediata por parte das nações mundiais em relação à crise econômica que se iniciou em terras americanas.

O convite - O presidente solicitou ao primeiro ministro holandês que atue em conjunto com o Brasil no próximo encontro internacional que se dará em Abril na cidade de Londres. Na ocasião Lula disse que convidará o presidente da França e o primeiro ministro Britânico para uma discussão sobre o futuro do sistema econômico mundial. Lula afirma que é necessário que se pense numa nova ferramenta para a gestão da economia mundial e que os países assumam de fato seu papel de comando em relação ao mercado, desde que o mesmo se pronuncie de forma livre e saudável sem interjeições estatais severas. “É preciso rever inclusive a posição futura do FMI”, afirmou o presidente.

No interlúdio de sua fala o presidente Lula disse que está rezando para o presidente Barack Obama, mais do que para si próprio. “O Obama está com um buraco enorme nas mãos para tapar, precisamos rezar para que ele tome as atitudes certas e que o congresso americano estude com afinco cada proposição do presidente Obama em relação às questões de salvaguarda para a resolução da crise americana”. Convido ao primeiro ministro da Holanda que também reze pelo presidente Obama, assim teremos uma corrente entre continentes, para que os americanos saiam dessa crise que está afundando a economia.

O Brasil não irá se perder ao mar da economia podre, não estamos em recessão, apenas iremos crescer menos do que anos anteriores, mas é necessário que a América volte ao eixo motriz senão muitos países pobres sofrerão conseqüências gravíssimas por décadas futuras, afirmou o presidente Lula. By Clayton Fernandes.

Divulgue o seu blog!