20090626

Anatomia da crise mundial

A crise econômica mundial oferece uma oportunidade de fortalecer o multilateralismo. Uma crise mundial exige soluções mundiais conjuntas. Os Estados-Membros das Nações Unidas mobilizaram recursos em uma escala maciça, 18 bilhões de dólares (cerca de 30% do Produto Mundial Bruto, PMB), para recapitalizar os bancos, nacionalizar as instituições financeiras e dar garantias sobre depósitos bancários e outros ativos financeiros; e planos de estímulo fiscal que, em abril de 2009, se elevavam a 2,7 bilhões de dólares (cerca de 4% do PMB) para serem gastos entre 2009 e 2011.

Os líderes do Grupo dos Vinte (G20) também prometeram 1,1 bilhão de dólares de financiamento durante a Cúpula de Londres, em abril, dos quais 50 bilhões de dólares serão destinados à proteção social, ao comércio e ao desenvolvimento nos países de baixo rendimento.

Entre as orientações políticas que estão tendo um amplo apoio internacional figuram as seguintes:

- Sistemas de vigilância de alerta rápido para identificar e responder aos riscos do setor financeiro e controlar a sustentabilidade da dívida dos Estados-Membros;

- Maior cooperação fiscal internacional, com vista a prevenir a evasão fiscal e a otimizar as capacidades fiscais governamentais;

- Reformas relacionadas com a credibilidade, a responsabilidade e a eficácia das instituições financeiras internacionais;

- Compromissos no sentido de lutar contra o protecionismo e chegar a acordo sobre as negociações sobre comércio da Rodada de Doha.

O sistema da ONU está juntando os seus múltiplos recursos para ajudar os países e populações vulneráveis:

- Fornecendo um financiamento adicional através dos mecanismos do sistema conjunto ONU-Banco Mundial, incluindo o Fundo de Vulnerabilidade do Banco Mundial;

- Reforçando os programas que visam a alimentar os que sofrem de fome e aumentar o apoio aos agricultores dos países em desenvolvimento;

- Prestando ajuda e financiando o comércio;

- Promovendo investimentos em longo prazo na sustentabilidade ambiental sensível às questões climáticas; através de um pacto mundial sobre postos de trabalho para promover o emprego e o trabalho digno para todos; e
Intervindo com urgência a favor da estabilidade nas áreas humanitária, social e da segurança.
Fonte: Anatomia da Crise Mundial - ONU / Relatório do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon. By Ton.

Divulgue o seu blog!