20100326

O rei e o projeto FX-2 do governo brasileiro

O Mix Ideias volta a comentar a questão da segurança nacional em relação a aquisição de caças pela Força Aérea Brasileira. Ao acompanhar a comitiva real da Suécia no Brasil, o Mix Ideias observou que o rei Carl Gustaf e a rainha Silvia, ao se pronunciarem em São Paulo (O rei na FIESP e a rainha no Hotel Tivoli) vieram focados na expectativa de efetuar reforços diplomáticos e políticos acerca do desfecho da mais importante negociação da economia bélica mundial do momento, a aquisição de novos aviões de guerra por parte do Brasil.

Projeto FX-2

A Força Aérea Brasileira (FAB)ao renovar sua frota de caças passará a contar com mais 36 novos aviões, levando assim o Brasil a ratificar-se como líder regional absoluto em defesa bélica.(FX-2 é o nome que batiza a renovação dos caças).

A conquista pela projeção interncaional, além das fronteiras diplomáticas da presidência,e a proteção do espaço aéreo leva o Brasil a obter em sua ficha internacional de poder o selo de país com "hard power" ou seja, persuasão bélica de poder além de manter-se com a capacidade de diálogo garantida via diplomacia com o "soft power" ou poder brando pela política presidencial.

Nos últimos meses os responsáveis pelos fabricantes de caças como Saab (Suécia), Dassault (França) e Boeing (EUA) vieram ao Brasil acompanhados de um forte corpo diplomático de seus respectivos países. Prova disso se viu agora com a visita do rei Carl Gustaf e da rainha Silvia por terras "tupiniquins", também já estiveram de passagem por Brasília e São Paulo o presidente francês, Nicolás Sarkozy, e a secretária de Estado norte-americana, Hilary Clinton, ambos com fortes laços diplomáticos e lobby para com os interesses de seus países e concomitamente da indústria de guerra.
By. Clayton Fernandes.

Divulgue o seu blog!