20100303

Secretaria de Estado Hillary Clinton em visita oficial ao Brasil

A reunião oficial em Brasília entre a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, tem em pauta uma série de acordos bilaterais (EUA x Brasil), dos quais se destacam a questão da política brasileira em relação ao programa nuclear do Irã, o cenário latino americano, políticas de direitos humanos para as mulheres, mudanças climáticas e cooperação a países pobres.

O Mixideias, através de fontes internacionais, acredita que a Secretaria Hillary Clinton deve apresentar o Brasil, além de Índia, Rússia, China e África do Sul; como nação parceira dos Estados Unidos em relação a políticas internacionais, inclusive apoiando se necessário com suporte militar, diplomático e donativos financeiros e recursos materiais em prol ao atendimento de catástrofes naturais e ações de repressão a anti-democracia ao redor do mundo. Os Estados Unidos não estão mais "sozinhos" no mundo como império soberano econômico e militar, para tanto está adotando a política internacional da boa vizinhança e repassando atividades de campo para países até então não ouvidos ou reconhecidos pela Casa Branca como possíveis forças militares e econômicas.
Segundo a pesquisadora sênior e diretora de estudos latino-americanos do Council on Foreign Relations, Julia E. Sweig , a visita de Hillary ao Brasil talvez não resulte na intimidade de um "relacionamento especial"; no entanto, se ela voltar a Washington reconhecendo o caráter excepcional do Brasil - qualidade que os brasileiros percebem claramente nos Estados Unidos -, é possível que comece a surgir um respeito mútuo saudável e profundo entre os dois países.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe Hillary Clinton a pedido de Amorim!

Em entrevista rápida concedida na capital federal o presidente Lula ao ser questionado sobre a reação que teria diante de um possível apelo da secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, para a imposição de sanção ao Irã, Lula disse que Hillary não deve pedir nada a ele.

Lula disse que se a secretária de Estado dos EUA tiver que fazer algum pedido neste sentido ao Brasil, que seja ao ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, pois ele a está recebendo a pedido do ministro. "Negociação é com o Celso", afirma. O presidente completou dizendo que se tem um país que pode dar lição ao mundo sobre paz, este país é o Brasil. "Porque a exercitamos (a paz) com galhardia. O Brasil entende que é possível construir um outro rumo, conversando", conclui Lula. Fontes: U.S. Departament of State. O Estado de São Paulo. CFR Foto: Eraldo Peres/AP . By Ton.

Divulgue o seu blog!