20100518

Desastre ambiental na costa americana

The New York Times - O petróleo que há dias vaza no Golfo do México, pós explosão de plataforma da empresa BP em alto mar, está se movendo rapidamente para uma corrente que poderia levá-los aos Keys da Flórida e ao Oceano Atlântico, ameaçando recifes de coral e centenas de quilômetros adicionais de costas.

O governo americano afirma que o petróleo ainda não entrou na chamada Corrente do Golfo e continua monitorando atentamente o movimento da mancha de petróleo. No entanto, dois cientistas independentes da burocracia governamental americana, analisando a corrente do oceano e dados por satélite, disseram que o petróleo está em um redemoinho que está sendo rapidamente atraído para a corrente, prenunciando uma disseminação muito maior da mancha perigosa.

A Casa Branca disse que o presidente Barack Obama nomearia em breve uma comissão independente para investigar a causa e responsabilidade pelo vazamento, em grande parte suplantando a investigação que está sendo conduzida no momento pela Guarda Costeira dos Estados Unidos e pelo Serviço de Gestão de Minerais, a agência do Departamento do Interior responsável pela supervisão das operações de petróleo em alto-mar.

Membros do Congresso e especialistas externos ao governo exigem a criação de um painel independente, semelhante aos que investigaram o acidente da usina nuclear de Three Mile Island em 1979 e a explosão do ônibus espacial Challenger em 1986.

Milhões de litros de petróleo já escaparam do poço que explodiu, representando um enorme desafio para contê-lo e impedi-lo de matar a vida marinha e poluir praias e terras alagadiças. Essa tarefa se tornará imensuravelmente mais difícil se uma mancha imensa de petróleo for pega pela poderosa e imprevisível Corrente do Golfo do México. Fonte: NYT. By Ton.

Divulgue o seu blog!