20100913

A heterogenia de pobres e ricos internacionais

De acordo com as Nações Unidas, em recente relatório sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2010, diversos países ao redor do mundo obtiveram um grande sucesso no combate à pobreza, na melhoria da escolarização e da saúde infantil, no aumento ao acesso à água potável, na intensificação do controle da malária e da tuberculose e num maior acesso ao tratamento do HIV. Estes êxitos registraram-se em alguns dos países mais pobres, o que demonstra que os ODMs são, de fato, realizáveis, quando há políticas corretas, suficiente investimento e apoio internacional.
No entanto, os progressos foram desiguais e, sem esforços suplementares, é provável que em muitos países não se alcancem vários Objetivos, diz o relatório. Cerca de 1,4 bilhão de pessoas continua a subsistir com menos de 1,25 dólares por dia, o limiar de pobreza definido pelo Banco Mundial. Aproximadamente um bilhão de pessoas sofre de fome. Quase nove milhões de crianças morrem, por ano, antes de fazer cinco anos, centenas de milhares de mulheres morrem, todos os anos, devido a complicações na gravidez e no parto e apenas metade da população mundial tem acesso a saneamento básico.

“A melhoria na vida dos pobres tem sido inaceitavelmente lenta e alguns avanços duramente conquistados foram erodidos pelas crises climática, alimentar e econômica”, disse o Secretário-Geral Ban Ki-moon.

A crise econômica teve um impacto muito negativo no emprego e no rendimento, em todo o mundo, e reduziram seriamente a capacidade dos pobres em alimentar suas famílias, segundo o Relatório sobre os ODM 2010. Além disso, muitos países doadores, com grandes déficits em seus orçamentos e com uma dívida crescente, devido à crise econômica mundial, estão tomando medidas de austeridade.

“Mas a incerteza econômica não pode ser uma desculpa para diminuirmos nossos esforços em favor do desenvolvimento”, afirmou o Secretário-Geral. “Investindo nos ODMs, investimos no desenvolvimento econômico mundial”.

Segundo o relatório de 2010 do Grupo de Reflexão sobre o Atraso na Realização dos ODMs, The Global Partnership for Development at a Critical Juncture, os fluxos de ajuda atingiram 120 bilhões de dólares, o maior montante jamais atingido, mas, mesmo assim, esta cifra ficou aquém das promessas feitas na reunião do Grupo dos Oito (G8), em Gleneagles em 2005, e da meta dos 0,7% do rendimento anual dos países doadores, há muito estabelecida pela ONU.

“A realização dos Objetivos é responsabilidade de todos”, declarou Ban. “Ficar aquém das metas estabelecidas multiplicará os perigos do nosso mundo – desde a instabilidade às epidemias à degradação ambiental”.
Fonte: UNIC. By Ton.

Divulgue o seu blog!