20101205

O paradoxo do WikiLeaks

Segundo o ex-embaixador da Alemanha em Washington e Londres e atual diretor da Conferência de Segurança de Munique, Wolfgang Ischinger, o site WikiLeaks é uma espécie de tsunami para o mundo diplomático internacional, "ele gera menos abertura e muito mais secretismo em vez de criar o universo transparente de informações com o qual os idealistas do WikiLeaks têm sonhado", afirma o embaixador alemão.

Os vazamentos maciços na Internet não prejudicarão apenas a atividade diplomática como tal. Eles podem também minar as atuais e futuras negociações de paz e as tentativas de prevenção de crises em várias regiões. Basta pensar na questão nuclear iraniana. Ou no Oriente Médio, no Afeganistão e no Paquistão.

Nas democracias os governos precisam assumir a responsabilidade pelos seus atos. Mas o direito do cidadão de conhecer aplica-se basicamente às políticas do seu próprio governo. Os vazamentos em casos de conduta governamental ou empresarial indevida ou comportamento criminoso podem ser um ingrediente legítimo de uma sociedade moderna, mas o direito de conhecer não deve ser interpretado de forma a incluir informações apresentadas ou discutidas por países estrangeiros sujeitas a regras de sigilo. Source: Herald Tribune. Edição by Clayton Fernandes.

Divulgue o seu blog!