20110620

Dia mundial do Refugiado

A revista Sintonia Universitária (http://issuu.com/sintoniauniversitaria/docs/sextaedicao) traz na capa de sua sexta edição o tema conceitual sobre refugiados. Nesse dia 20 de junho é comemorado o Dia Internacional do Refugiado pelas Nações Unidas, e o Mix Ideias relata em primeira mão o Relatório Tendências Globais 2010 do Alto Comissariado da ONU - ACNUR.

Tendências Globais 2010 / ONU:

Países em desenvolvimento abrigam 80% dos refugiados do mundo, aponta relatório do ACNUR

O relatório do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR) revela um grande desequilíbrio no apoio internacional às pessoas que foram forçadas a se deslocar.

O documento mostra que 80% dos refugiados do mundo foram acolhidos por países em desenvolvimento, no momento em que cresce o sentimento anti-refugiado em muitos dos países industrializados.

O relatório Tendências Globais 2010 aponta que muitos dos países mais pobres do mundo abrigam grandes números de refugiados, seja em termos absolutos ou em relação ao tamanho de suas economias. Paquistão, Irã e Síria têm as maiores populações de refugiados, com 1,9 milhão, 1,07 milhão e 1,005 milhão, respectivamente.

O Paquistão sente o maior impacto econômico desta situação, com 710 refugiados para cada dólar do seu PIB per capita. Em seguida vem a República Democrática do Congo e o Quênia, com 475 e 247 refugiados por cada dólar/PIB per capita, respectivamente.

Comparativamente, a Alemanha - país industrializado com maior número de refugiados (594 mil pessoas) - tem 17 refugiados para cada dólar/PIB per capita. O quadro apresentado pelo relatório demonstra uma mudança generalizada no ambiente de proteção que existia há 60 anos, quando o ACNUR foi criado. Naquela época, a agência da ONU para refugiados atendia 2,1 milhões de casos na Europa, deslocados pela II Guerra Mundial.

Atualmente, o trabalho do ACNUR se estende a mais de 120 países e engloba tanto pessoas obrigadas a ultrapassar as fronteiras de seu país quanto aquelas que se deslocam dentro de seu território - os chamados deslocados internos.

O relatório Tendências Globais 2010 mostra que atualmente existem 43,7 milhões de pessoas deslocadas no mundo inteiro - um número equivalente à população de países como Colômbia e Coréia do Sul, ou às populações da Escandinávia e do Sri Lanka combinadas. Deste total, 15,4 milhões são refugiados (10,55 milhões sob mandato do ACNUR e 4,82 milhões registrados pela UNRWA - agência da ONU de assistência a refugiados palestinos), 27,5 milhões são deslocados internos por força de conflitos e outros 850 mil são solicitantes de refúgio - quase um quinto apenas na África do Sul.

De forma preocupante, o relatório aponta que entre os solicitantes de refúgio estão 15,5 mil crianças desacompanhadas, a maioria vinda da Somália e do Afeganistão. O documento não contabiliza os deslocamentos ocorridos em 2011 na Líbia e na Costa do Marfim.

Brasil

De acordo com as estatísticas do Comitê Nacional para Refugiados (CONARE), o Brasil abriga atualmente 4.401 refugiados de 77 nacionalidades diferentes. Deste total, 3.971 foram reconhecidos pelas vias tradicionais de elegibilidade e outros 430 foram reconhecidos pelo Programa de Reassentamento Solidário.

O continente africano é a principal origem destes refugiados, respondendo por 64,17% do total. Em seguida vem a região das Américas (22,9%), a Ásia (10,61%) e a Europa (2,21%). O Brasil ainda possui cinco apátridas reconhecidos como refugiados.

Por nacionalidade, o principal grupo é dos angolanos (38,37%), seguido pelos colombianos (14,27%), congoleses (10,31%), liberianos (5,87%) e iraquianos (4,61%). Os dados do CONARE foram atualizados em abril de 2011. By Ton

Divulgue o seu blog!